Blog

Página inicial » Blog » A REVOLUÇÃO DO POSSÍVEL.

A REVOLUÇÃO DO POSSÍVEL.

Pequenas mudanças, grandes revoluções.

Grama

No final do ano passado – meu precioso ano sabático – a varanda da minha casa começou a colapsar para a frente. Chamando o Aldori – aquele pedreiro amigo que fez todas as reformas e construiu meu estúdio – ele disse que as fundações mal feitas tinham cedido ao movimento do terreno úmido em excesso. Resultado: precisávamos de fundações novas e outros detalhes, enfim, uma reforma que já estava projetada para mais adiante, bem mais adiante. Obviamente com o tal ano sabático as reservas estavam no fim e não havia dinheiro para a reforma como ela tinha sido projetada pelas arquitetas. Já nos primeiros orçamentos de mão-de-obra, ficou claro que eu tinha um desafio de logística para fazer na minha conta bancária. Faz tempo que aprendi a não comprometer meus ganhos futuros com prestações em excesso ou assumindo dívidas que eu não tenha sinais claros de que poderei pagar. Um duro aprendizado, com o qual ainda tenho umas pendências do Passado, mas que estava bem solidificado em mim. Então não, empréstimos e dívidas enormes não eram uma opção.

O que fazer então?

Em resposta a esta pergunta entrei no que eu estou chamando de “a revolução do possível”. Fui no meu depósito e reuni cada pequeno resto de materiais e madeiras de outras obras, adaptei o projeto, chamei uma mão de obra mais jovem e, portanto, mais barata e começamos. Foi uma aventura que me deixou a ponto de ter um ataque de nervos, mas chegamos ao final. E aí outro desafio – não havia dinheiro para os móveis e decoração do novo espaço que o jardim ganhou com a reforma. Novamente a “revolução do possível” entrou em ação. Todos os móveis da casa foram reavaliados, mudaram de lugar, os escolhidos para o jardim e os que já estavam lá foram lixados e renovados com pintura (que eu fiz, é claro), fui para minha velha máquina de costura Singer e velhas cortinas viraram almofadas, os lençóis brancos do consultório (que virou uma Galeria de Arte Curativa já que estou deixando de fazer atendimentos presenciais) viraram cortinas. Cada quadro, objeto de decoração, tecido, almofada, cadeira que estavam sem uso, guardados nos armários, entraram em uso. E no fim – voilá! – fiquei com um paisagismo de revista.

Agora estou levando o conceito da “revolução do possível” para outras áreas da minha vida e da minha empresa onde quero e preciso fazer mudanças da matéria – que exigem investimentos que no momento não são adequados – e mudando pequenas coisas, fazendo pequenas melhorias.

E hoje convido você, Querida e Preciosa Pessoa, a entrar em sintonia com seus desejos de mudança – especialmente aqueles que precisam acontecer na matéria – e fazer a sua “revolução do possível”. Nem que seja só mudar os móveis e quadros de lugar, seja fazer um rodízio dos objetos de decoração, seja olhar para tudo o que você gosta o suficiente para guardar, mas que está sem uso, e colocar sua criatividade para funcionar, criando assim um ambiente renovado energeticamente e esteticamente.

Depois queime umas ervas sagradas ou use o borrifador Proteção Ambiental dos Florais da Deusa e faça uma cerimônia de limpeza e bênçãos, dando as boas-vindas para o Novo.

Então, hoje fica aqui a minha pergunta e o meu convite:

– Que mudança possível está esperando a sua ação?

Identificando a resposta a esta pergunta, faço um segundo convite: arregace as mangas, pare de focar no que não tem e saia como um detetive procurando o que você tem. E você vai começar o ano se sentindo a pessoa mais abundante do mundo!

 

PS.: É claro que a “revolução do possível” não vale apenas para a casa ou local de trabalho, mas para qualquer área da sua vida onde você sente que existe uma enorme pressão para a mudança. Leve a pergunta para lá também!

 

 

Cler Blog

Grama

A REVOLUÇÃO DO POSSÍVEL.

Pequenas mudanças, grandes revoluções.

INCÔMODO X PULSO EVOLUTIVO.

A importância de manter um certo nível de incômodo nos processos de mudança e evolução, mas sem tanto sofrimento e - mais do que tudo - sem desistir!
Father Watching His Infant Sleep

HOMENS.

Quero hoje bater palmas a todos estes homens de BOM CORAÇÃO que caminham sobre a Terra, trabalhando por esta mudança de paradigma tão importante – a que coloca homens e mulheres como parceiros evolutivos e não seres de diferente status na sociedade.
Josep M Rovirosa

O CORPO SÁBIO.

Quando a nossa biologia manda convites para curas profundas.